domingo, 11 de outubro de 2015

TEMPO E LUGAR


Sobre um banco com papel e caneta
Tudo aquilo que neles vem a pensar
Expressão natural espontânea da arte
Em prosa e poesia vão brincando de rimar.

Vive o que escreve viajantes da imaginação
Entre o curto espaço no ser e sentir
Nela expressa do fundo da alma
Coração acalma versos simples assim.

Sanfoneiro embola soneto com poesia
Expressa o que sente na alma do trovador
E nela acrescenta canção de boemia
Com todas as outras fazem canção de amor.

Viola chora com sonfoneiro e violão
E juntos se despedem ao anoitecer.

Autor: © GERSON CLAYTON RODRIGUES DOS SANTOS

Extraído do Livro de Antologia de poesia e prosa " Além do Horizonte" pelo Celereiro de Escritores - São Paulo SP - Editora Sucesso em 2014

4 comentários: