sábado, 26 de dezembro de 2015

Trova (Tema: Cachaça)

De-me uma dose e boa
Velha pinga fermentada,
Que hoje afogo-me a toa
Logo estarei na calçada.



Trova que integra o Livro em E-book, resultado do Concurso Brasil Literário 1° Antologia 100 trovas sobre  cachaça. Organização Antônio Cabral Filho- Edição: Antologia Brasil Literário - SP Rio de Janeiro - RJ 2015

13 comentários:

  1. Olá.
    Os poetas nascem para ser livres,
    poesia só livremente presa neles vive,
    quem à poesia quiser pôr amarras,
    que se cuide de suas garras de tigre,
    porque, poesia livre
    só livremente presa vive.
    Figas Abraço.
    Gerson. Podes buscar por Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque,
    por Silvino Figueiredo, por Conde das Bocas, por Figariano, e encontrarás alguma coisa que te interesse. Bom 2016

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu caro, gostei das palavras, farei a busca!

      Excluir
    2. Livre de alma, livre de pensar, pois é o único momento de verdadeira liberdade.... Parabéns...

      Excluir
  2. Aqui estou e sua trova bem que mereceu, é muito artística e bela. parabéns! Ivan de Oliveira Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato poeta amigo, aprecie sua escrita também!

      Excluir
  3. Irreverente e com o charme do bom humor e dos mil motivos e significados que um trago possui. Parabéns pela escrita! Abraços e força sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh! Que alegria receber tamanho elogio, muito obrigado pela visita, tenha uma ótima semana a toda família!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Na calçada acompanhado
    De um blues e um violão,
    Uma talagada no bolso,
    Uma gaita e o coração ...

    Parabéns pelos inspirados versos, do qual me identifico rapidamente ... rs a nossa velha e boa cachaça. Abraços amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato pelas belas palavras, Abraços!

      Excluir
  6. Queria ser andarilho,
    Queria ser alguém
    que degustasse demasiadamente
    bebidas destilada
    e
    ora andando
    ora deitado
    no sol escaldante
    de papo pro ar,
    mas sou demasiadamente
    razão
    esta danada de séria
    que sempre me deixou sério.
    Belos versos seus da maldita branquinha!
    Esta erva líquida que vai consumido a gente!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Ementa:
    bebidas destladas...
    Esta erva líquida que vai consumindo a gente!

    ResponderExcluir
  8. Também apreciei teus versos meu caro, obrigado!

    ResponderExcluir